Resenha – A Sutil Arte de Ligar o F*da-se
Resenha – A Sutil Arte de Ligar o F*da-se

Esse foi um livro que ficou no topo das vendas durante praticamente todo o ano de 2018. Sempre que eu ia em alguma livraria dar aquela olhadinha inocente, o título me chamava atenção, mas acabei por não comprá-lo, não era prioridade da minha lista. Mas no finzinho de 2018, peguei emprestado e li em uns três dias. E aqui vai meu parecer sobre a famosa Sutil Arte de Ligar o Foda-se.

Resenha

No início eu tive a impressão que fosse um livro de autoajuda, bem daqueles clichês, com lições e listas pra colocar em prática, mas que todo mundo esquece no momento que fecha o livro. Bem, minha impressão mudou um pouco, mas no fim é quase isso mesmo. Vou explicar.

O autor, Mark Manson, é aquele mesmo que publicou uma carta aberta ao Brasil, sobre suas perspectivas do país enquanto morou por aqui. Que inclusive deu uma leve polêmica na época. A escrita dele é ligeramente no tom de “foda-se, todo mundo consegue ser assim”, como se tudo fosse simples, pelo menos foi essa a impressão que eu tive ao longo do livro. Ele é um homem no padrão classe média alta americana e teve/tem uma vida cercada por privilégios, ou seja, muitas das suas vivências e conselhos não se aplicam à grande maioria da população mundial, principalmente brasileira.

Em um determinado capítulo, ele ressalta como foi difícil, depois de formado, trabalhar fora da sua área de atuação até o momento que decidiu “ligar o foda-se” e sair viajando pela América do Sul, sendo o garanhão das mulheres e torrando seu dinheiro. Mas vamos ser sinceras, quem tem a possibilidade de fazer algo semelhante hoje em dia? Eu, pelo menos, só em sonhos poderia largar o que (não) tenho pra me redescobrir pelo mundo.

Outro ponto que me incomodou bastante durante o livro é o fato de que ele critica esses discursos prontos motivacionais de coachs no LinkedIn e, no fim das contas, o próprio livro que ele escreveu é um discurso imenso motivacional de LinkedIn. As metáforas (que não sei se podem ser consideradas metáforas) são pobres, algumas até sem nexo e muitas vezes facilmente ignoráveis.

Minha percepção final do livro foi: sim, tem (poucas) dicas úteis, mas nada de surpreendente que vá mudar sua vida. A leitura é agardável, mas pode incomodar alguns leitores em determinados pontos. Vale a pena ler pra agregar, mas não é nada de indipensável. Há livros de autoajuda e de “ligar o foda-se” muito melhores por aí.

Você encontra A Sutil Arte de Ligar o Foda-se na Livraria Saraiva ou Amazon, em e-book ou capa comum.


Ficha técnica

Editora: Intrínseca; Edição: 1ª (Novembro 2017)

224 páginas

Autor: Mark Manson

*Imagem: Editora Intrínseca